Artigos

Saúde óssea em surfistas de meia idade e idosos

Autores:
  • Simas V. e col.
Estudo de alta relevância
Artigo na íntegra

Fonte: Open Access Journal of Sports Medicine » Volume 10

Local: Water Based Research Unit, Bond Institute of Health and Sport, Bond University.Promethean Way, Robina, Gold Coast, QLD 4226, Australia

Objetivo: Estudo da densidade óssea em surfistas de meia idade e idosos 

Métodos: 2 grupos Surfistas x Não Surfistas, equivalentes de idade e sexo. Idade entre 50-75 anos. Avaliadas: Index de Massa Corpórea, questionário de atividade física, consumo de cálcio diário, e consumo de bebidas alcoolicas.  Os desfechos primários incluíram Densidade de Massa Óssea (DMO) no fêmur e coluna lombar (LS) e escore T, avaliados por meio da absorciometria por raios X de dupla energia. Biomarcadores ósseos também foram analisados.

Resultados: Foram avaliados 104 participantes (59 surfistas e 45 controles). Os grupos foram semelhantes em relação a todas as características demográficas, exceto a porcentagem de massa magra (maior em surfistas) e o escore atual do Index de Massa Corpórea (menor em surfistas). Os surfistas tiveram uma experiência média de surf de 41,2 (DP ± 11,8) anos e exposição média ao surf de 26,9 (DP ± 15,0) horas / mês. Os controles foram divididos em dois grupos, de acordo com sua principal atividade física: levantamento de peso / alta intensidade (WBHI)e levantamento de peso / baixa intensidade (NWBLI). Quando comparados aos controles do NWBLI, os surfistas apresentaram maior DMO LS e maior escore T; no entanto, os surfistas tiveram um T-escore menor que o grupo WBH. Não foram encontradas outras diferenças entre os grupos.

Conclusão: Os resultados deste estudo corroboram nossa hipótese de que o surf regular pode ser uma atividade física eficaz para homens de meia-idade e mais velhos a diminuir a deterioração óssea relacionada ao envelhecimento, pois identificamos resultados positivos para os surfistas em relação aos resultados primários.

Opinião SID: 🤙🤙🤙🤙. Trabalho com número significante, evidenciando como a prática do surfe regular pode prevenir doenças do metabolismo ósseo, como a osteoporose, pela exposição solar e pela ativação osteomuscular numa população de idade avançada.

Dica SID:  Além das doenças osteometabólicas, a prática do surfe pela população idosa deve ser estimulada para melhora da função cardiopulmonar, no equilíbrio postural além dos benefícios psicológicos. Orientamos, principalmente nesta faixa etária e para aqueles surfistas não experientes, supervisão de um instrutor.