Artigos

Lesões agudas e crônicas no surfe competitivo

Autores:
  • Inada K., Matsumoto Y.,Kihara T., Naoyuki Tsuji N.,Netsu M.,Kanari S., Yakame K.,Arima S.
Estudo de alta relevância
Artigo na íntegra

Objetivo: esclarecer as características das lesões agudas e distúrbios crônicos no surf competitivo, através do estudo de atletas da JPSA Japan Pro Surfing Association, desde 2009.

Desenho do Estudo: Avaliação epidemiológica / série de casos 

Métodos: Os dados foram coletados de surfistas profissionais certificados pela JPSA durante competições e em ambulatório. Foram registrados 1707 casos de lesões (agudos e crônicos) durante 50 campeonatos da Japan Pro Surfing ,entre 2009 e 2016. 

Resultados:  26 casos de lesões agudas durante as competições. O que representa uma taxa de lesão de 6,6 a cada 1000h de surfe competitivo. A maior parte das lesões foram lacerações e abrasões, e ocorreu nos membros inferiores por contato com o fundo do mar em surfistas de longboard principalmente. 

Já as lesões agudas tratadas ambulatorialmente foram 39 casos entre o número total de 152. As lesões ligamentares dos membros inferiores foram as mais comuns. Principalmente entre os surfistas de shortboard.

Os Transtornos crônicos foram 62 casos no total de 127 casos tratados em ambulatório foram causados pelo surf. A maioria dos distúrbios concentram-se na coluna  lombar (31%), ombro e articulações (27%) e áreas do pescoço (15%).Hérnias de disco cervicais ou lombares que impedissem os pacientes de competirem foram bastante raras. Todos os casos de distúrbios crônicos permitiam que os pacientes voltassem rapidamente a praticar o surf, sem a necessidade de tratamento cirúrgico , apenas com medicação e fisioterapia.

Conclusão: Os resultados deste estudo são substancialmente diferentes dos resultados de uma pesquisa anterior com surfistas recreativos e parecem refletir as características competitivas do surfe

Opinião SID: 🤙🤙🤙🤙🤙. Estudo realizado no Chiba Japão, palco das Olimpíadas 2020. Neste estudo os autores levam diversos fatores em consideração.Levam em consideração o nível do surfista ediferem lesões agudas e crônicas.

Dica SID:  Acreditamos assim como os autores deste, que no surfe existe uma grande variabilidade de lesões, sendo difícil estabelecer padrões fixos. Características pessoais do praticante e as condições ambientais devem ser consideradas para estabelecer um padrão epidemiológicos das lesões do surfe.